segunda-feira, 29 de agosto de 2016

«Foi Cristo que mudou a minha vida»


O primeiro treinador de sempre a conseguir levar a selecção portuguesa de futebol a conquistar um título, o engenheiro benfiquista Fernando Santos, acreditou desde o primeiro minuto que Portugal ia ganhar o Euro 2016, tendo sempre reiterado a sua crença.
Numa entrevista concedida ao jornal Sábado, a primeira depois da vitória no Euro 2016, Fernando Santos, conhecido católico, disse que mais importante que a conquista de Portugal é Jesus Cristo que mudou a sua vida. "Fui muito cedo para a catequese, aos seis anos - sei hoje a data exacta, e durante 40 anos não soube. Fui porque todos iam. Os meus pais acreditavam mas não praticavam. A seguir ao Crisma, desisti. Puseram-me a fazer de juiz e de cada vez que eu batia com o martelo, desatava a rir. Ainda me lembro do catequista, o Paulo, a quem disse: 'Desculpe, mas isto não é para mim, não venho mais'. Depois andei muitos anos assim... Até Cristo mudar a minha vida. (...) Radicalmente... Descobri que Cristo está vivo. Essa foi a grande revelação. Durante o tempo que andei no túnel, nem sabia que havia Cristo, Deus. Não percebia nada, a Santíssima Trindade para mim, era uma grande confusão. Sempre aquela sensação do Deus castigador da infância. E não é nada disso - há um Deus misericordioso", disse Fernando Santos.
Realmente dá que pensar como é que a actual selecção portuguesa, bem mais fraca do que a de anos anteriores como a que disputou e perdeu a final do Euro 2004 em casa (com Cristiano Ronaldo, Figo, Rui Costa, Nuno Gomes...), conseguiu o verdadeiro milagre de ser campeão europeu em França vencendo justamente a poderosa França na final. Nas condições que tivemos terá sido mesmo obra do mero acaso? E que dizer da crença inabalável na vitória por parte do treinador que revelou-se mesmo certeira?

Benfica vence na Madeira; Sporting líder isolado


No futebol, nós, os tricampeões nacionais, vencemos na Choupana o sempre difícil Nacional da Madeira por 3-1 no sábado e neste momento já estamos em segundo lugar com 7 pontos.
O pistoleiro Jonas regressou ao 11 titular, Jiménez substituiu Mitroglou e Salvio, que parece que afinal vai continuar connosco, assumiu de novo a braçadeira de capitão. Depois de um começo a dominar, chegámos ao 1-0 graças a um autogolo de Aly Ghazal. Os alvinegros empatariam a partida através do jovem central Tobias Figueiredo, emprestado pelo Sporting, mas Carrillo, que substituiu o apagado Pizzi, entrou decidido em fazer história e recolocou-nos em vantagem 6 minutos depois do empate. Aos 90 minutos, Jiménez fez o 3-1 e deu mais uma prova de que ele também merece ser titular mais vezes. O importante mesmo, no entanto, era ganhar. E pronto, ganhámos.
"Não procurava uma resposta em relação ao jogo anterior (empate com o Vitória de Setúbal na Luz) e seja qual for o adversário é sempre preciso jogar com esta determinação. Temos de ver cada jogo como uma final", disse Rui Vitória. Já Salvio, de 26 anos, afirmou que está "cada dia mais orgulhoso de usar a braçadeira" de capitão.


E ontem houve clássico em Alvalade que decidiu primeiro o líder da Liga NOS. O Sporting venceu o fcp e tem agora 9 pontos.
Perante 49 mil adeptos, o fcp, que estranhamente jogou com o equipamento alternativo, entrou muito forte e chegou à vantagem logo aos 8 minutos, por Felipe, mas a equipa da casa reagiu bem e impôs o seu jogo, estabelecendo o resultado final ainda na primeira parte: Slimani, que fez o seu último jogo pelos lagartos e saiu do campo a chorar (vai representar o campeão inglês Leicester City), empatou aos 15 minutos e o jovem Gelson Martins, o melhor em campo, carimbou a reviravolta lagarta aos 26 minutos.
No final do jogo, Jorge Jesus disse que a mudança táctica que ele, o "mestre da táctica", fez foi decisiva. "O FC Porto praticamente não criou um lance de perigo, excepto aos 90 minutos", acrescentou. Já Nuno Espírito Santo criticou, como todos os Andrades, a arbitragem mesmo tendo primeiro resistido a tal. "Querer não queria, mas hoje foi evidente. Nem preciso de ver as imagens, os lances condicionaram o resultado. Ele (Tiago Martins) devia ter visto, tem a obrigação de o fazer. Teve influência directa", atirou, sublinhando, ainda assim, que gostou da exibição da sua equipa. O guarda-redes Casillas concordou com o treinador: "Hoje fomos muito prejudicados".
Na próxima jornada o fcp recebe o Vitória de Guimarães, o Sporting joga em casa com o Moreirense e nós vamos a Arouca.

Benfica conquista Supertaça de andebol


Conquistámos a nossa 7.ª Supertaça de andebol depois de, a 6 minutos do final, estarmos a perder por 20-24 com o ABC de Braga. Resultado final: 25-24.
Parabéns, Benfica! Somos os maiores!!

Marcelo, o solidário


Esta notícia já tem uns dias mas mesmo assim não fica nada mal falar dela: o presidente da república, Marcelo Rebelo de Sousa, doou ou vai doar os lucros provenientes da sua campanha a uma Instituição Particular de Solidariedade Social. Apesar de ter feito uma campanha presidencial low-cost, a mesma teve um lucro de 45 mil euros.

A ponte entre Portugal e a Coreia do Sul


A sul-coreana Lee Jin Sun, ou melhor, Jin Sun Lee, de 47 anos, trabalha na secção cultural da embaixada sul-coreana em Lisboa, vive em Portugal desde 1992 e é uma verdadeira ponte entre Portugal, onde a comunidade coreana ronda as 200 pessoas, e o seu país graças ao excelente português que fala mas também ao modo como se tornou numa síntese das duas culturas.
Os coreanos, tal como os chineses, usam o apelido familiar antes do nome próprio, mas ela adoptou a maneira ocidental porque "É mais fácil assim". E, além de gostar da couve fermentada à moda coreana (kimchi), adora também bacalhau com natas. O seu marido, que é português, chama-se José e que lhe foi apresentado por um amigo comum coreano há mais de 20 anos atrás em Lisboa, é médico, já foi algumas vezes à Coreia do Sul, diz umas palavras em coreano e aprecia comida oriental. "Ele gosta muito", disse Jin, que tenta sempre ir duas vezes por ano fazer um piquenique com a comunidade coreana em Portugal e que conta também com descendentes luso-coreanos.
Jin nasceu em Gwangju, uma cidade que ficou marcada por uma violenta repressão militar contra manifestantes pacíficos antes da Coreia do Sul se democratizar, mudou-se para a capital Seul com a família e começar a estudar o português depois de um professor lhe dizer na universidade que saber inglês "era básico e devia acrescentar outra língua". Em 1992 esteve a trabalhar para a embaixada portuguesa em Seul e ganhou uma bolsa do Instituto Português do Oriente para estudar na Universidade de Lisboa. "Primeiro pensei ir para o Brasil estudar. Tinha um professor que era de Minas Gerais e também conhecia filhos de emigrantes coreanos no Brasil. Mas ao mesmo tempo tinha fascínio pela Europa e acabei por escolher Portugal", contou. De Portugal já conhecia o fado apesar de não saber o que era por causa da Dulce Pontes, que via na TV. Jin chegou mesmo a cantar o "Barco Negro à frente dela" para a Amália Rodrigues ouvir quando a mais famosa fadista portuguesa de sempre esteve em Seul para um concerto privado num hotel. Conhecia também os navegadores Vasco da Gama ou Bartolomeu Dias, nomes que se aprende nas escolas, e também o Benfica e o Eusébio, pois o povo sul-coreano adora futebol. Em 1998 trabalhou no pavilhão da Coreia do Sul na Expo e acabou por receber uma proposta da embaixa sul-coreana em Lisboa. Hoje trabalha na secção cultural da embaixada e é a responsável pela organização de eventos como a Semana Cultural Coreana, que vai da gastronomia ao cinema, ou o concurso de K-pop, um estilo musical próprio da Coreia do Sul (uma espécie de cópia do J-pop, do Japão) que já tem fãs em todo o mundo, inclusive em Portugal, pois há uns tempos atrás houve uma competição de K-pop no Teatro Maria Matos que reuniu cerca de 500 pessoas e os vencedores conseguiram um lugar na final na Coreia do Sul.
O seu país, a terra da Samsung, LG ou Hyundai, enche-a de orgulho. "Admiro muito a Coreia. Partimos das cinzas, depois da guerra. E em poucas décadas ficámos uma potência tecnológica. E também uma democracia", sublinhou, admitindo, porém, o receio de que se esteja a perder os valores tradicionais, a tal "ética confucionista" que é interpretada como a explicação para o êxito do país. Seja como for, voltar para lá não está nos seus planos porque sente-se bem em Portugal.

Reino do Oceano na Ilha da Montanha

Ontem estive o dia quase todo em Heng Qin, também conhecido como a Ilha da Montanha, bem ao lado da Taipa onde está a Universidade de Macau. Fui lá ao Ocean Kingdom que é uma espécie de feira popular misturado com jardim zoológico e oceanário, uma megalomania típica chinesa. Havia gente a dar com o pau, pois afinal de contas era domingo.






Pode-se ver mais imagens do meu dia de ontem no FireHead's Blog.

sábado, 27 de agosto de 2016

Amatrice: lágrimas de padre comovem as redes sociais

video

O Pe. Savino D'Amelio, sacerdote de Amatrice, começou a chorar ao aperceber-se do estado em que ficou a localidade italiana, destruída pelo terramoto de magnitude de 6.2 na escala de Richter que causou 247 vítimas mortais. Metade da cidade já não existe e há ainda pessoas sob os escombros.
"Conheço todos, o povo não é grande", disse o sacerdote, que também assiste um lar de idosos. "Há crianças, jovens, adultos e idosos mortos", acrescentou.
O bispo de Ascoli, D. Giovanni D'Ercole, assinalou que "o cenário é desolador". "Quando cheguei pela manhã, vi uma cidade destruída, gritos, morte", relatou. Entre os povoados que visitou está Pescara del Tronto, um local completamente destruído no qual teve que ir "aos escombros para dar a Unção dos Enfermos a dois corpos de crianças".

Itália manda migrantes de volta


Parece que a Itália já atingiu o limite: o governo de Roma está a trabalhar em conjunto com o governo do Sudão, um grande país muçulmano de África, no sentido de expatriar os migrantes sudaneses. 48 deles já foram expatriotados em voos charters da companhia aérea egípcia, EgyptAir.
A decisão foi, como não podia deixar de ser, muito contestada pelos grupos activistas dos Direitos Humanos como, claro, a hipócrita Amnistia Internacional. Também a Cáritas, na pessoa da advogada Alessandra Ballerini, ficou desagradada com a situação, afirmando que se trata de uma deportação em massa para um país onde os direitos fundamentais são violados e a vida das pessoas está em perigo.
Estou a ver que o Sudão também está a precisar de um 25 de Abril que é para haver direitos fundamentais por lá. Porque é que os sudaneses não se juntam e fazem uma revolução lutando pelos seus direitos no lugar de fugirem para a Europa, para o pé dos brancos que foram colonizadores e que foram escorraçados de África? Não haverá países africanos que aceitam pedidos de asilo? Ou mesmo países muçulmanos ricos, como os do Golfo Pérsico, dispostos a ajudar os seus "irmãos na fé"? Hmmm, não, que ideia, assim como é que se promoveria o multiculturalismo? Como é que se procederia à islamização? Como é que haveria tetas do Estado Social para chupar?

«A verdade acerca do discurso "Alt-Right" da Hillary» (Paul Joseph Watson)

video

«Vós devíeis ter ficado em África»


Em Tallahassee, na Flórida, uma cota mamuda de fato de banho dirigiu insultos racistas a um grupo de jovens negros, configurando mais um episódio de tensão racial lá no país que ainda é desgraçadamente presidido pelo mulato falhado do Barack Hussein Obama que prefere estar a jogar golfe no lugar de se preocupar com a situação da Louisiana afectada pelas cheias.
"Vós devíeis ter ficado em África. Vós podeis voltar para lá se quiserdes e levai os vossos últimos nomes convosco", disse assim a mulher, que acrescentou que os pretos querem ser brancos mas que nunca serão brancos.
A pessoa que filmou o acontecimento pediu aos negros para não responderem às provocações. A própria filha da racista, envergonhada, tentou impedi-la de continuar com os insultos. "Podes parar? Podes parar, se faz favor?", disse-lhe assim a progenitora.

video

E se os índios da América se pusessem agora a insultar os brancos e dizer-lhes para voltarem (ou irem, no caso dos americanos brancos que já lá estão há gerações) para a Europa? Ah, e nada disso invalida, no entanto, a existência de (muitos) negros que são racistas contra os brancos, como é claro. O Black Lives Matter que o diga.

«A migração é uma ameaça à civilização europeia»


Václav Klaus, antigo presidente da República Checa, demonstrou o seu apoio ao partido nacionalista alemão Alternativa para a Alemanha (AfD) e referiu que o terrorismo é uma consequência da crise dos refugiados e uma ameaça à liberdade.
Na cidade alemã de Schwerin, e perante apoiantes da AfD, Klaus afirmou que a migração é uma "perigosa corrupção das nossas vidas, da nossa qualidade de vida, das nossas tradições e costumes". E atacou os líderes europeus por acreditarem sincera e verdadeiramente no multiculturalismo, perguntando se eles querem criar o Homo Bruxelarum (homem de Bruxelas, o centro da maçónica União Europeia) a partir de migrantes.
E quem fala assim não é gago. Força, AfD!!

Rui Gomes da Silva defende-se e arrasa fcp

Rui Gomes da Silva mostrou que não é hipócrita e respondeu no Facebook aos que o atacaram por ter desejado a derrota do fcp com a Roma:


HIPOCRISIA? NÃO, OBRIGADO! 

O assunto e os hipócritas do “outro lado”, não merecem mais do que esta nota. 

Sou do Benfica e – com excepção dos “idiotas úteis” – quero tanto que os outros ganhem como eles desejam que o Benfica vença. 

Exactamente o mesmo. 

Ou eu – por ser do Benfica (também reconheço que se fosse de outra equipa portuguesa, qualquer que ela fosse, uma declaração dessas seria normal) – não posso dizer o que dizem os adeptos dos outros clubes? 

Se um treinador português, ao perder uma eliminatória, com o Benfica, diz que não quer saber da carreira do Benfica porque é do Porto, isso é normal. 

Eu é que não posso dizer o que penso,... porque sou do Benfica! 

Se um comentador televisivo, que passou uma época inteira a elogiar um treinador que perdeu tudo (excepto um troféu no primeiro jogo da época), lhe atribui o título de melhor treinador do ano, isso é natural. 

Eu é que não posso dizer o que penso,... porque sou do Benfica! 

Se a ex-mulher do presidente de um clube afirma que ele desejou a vitória da Grécia contra Portugal, no Euro 2004, sem nunca ter sido desmentida, até hoje, isso é curial. 

Eu é que não posso dizer o que penso,... porque sou do Benfica! 

Se um presidente de um clube afirma que basta retirar o vermelho da bandeira portuguesa e “é tudo nosso”, isso é banal. 

Eu é que não posso dizer o que penso,... porque sou do Benfica!  

É verdade que falhei uma previsão tão normal de acontecer quanto as casas de apostas a achavam muito mais possível que a oposta. 

É verdade que vencer contra 9 foi tão fácil como era ganhar contra 11 nos tempos do... Apito Dourado. 

Já mais difícil, vai ser ganhar, no próximo jogo, a atestar pelos recentes elogios às nomeações vindos daquele lado. 

Roma já não é o que era. 

E em Alvalade, vencerá o elogio recente e desesperado da dupla que, para “sobreviver”, tem mesmo que ganhar este ano ou quem recorreu aos métodos do Apito Dourado para invocar uma matriz de vitórias repetidas? 

Como benfiquistas, sabemos qual é o verdadeiro conceito de Verdade Desportiva! 

Como sabemos respeitar nomeações, como a de Tiago Martins, um jovem internacional de elevada qualidade. 

O que não seria se esta nomeação tivesse sido feita por Vítor Pereira (então, se enviasse Artur Soares Dias para a Madeira, seria o bom e o bonito)? 

Por mim, só me pronuncio sobre actuações, não sobre nomeações. 

Mas estou cada vez mais de acordo com o que disse Pedro Proença na sua recente entrevista ao fazer um grande elogio ao excelente trabalho feito pelo o ex-presidente do CA. 

De facto, aquilo que os une (a inveja ao Benfica) é mais forte que aquilo que os separa. 

Por isso, somos mesmo MAIORES QUE PORTUGAL. 

VIVA O BENFICA!!!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Sortes diferentes no sorteio da Liga dos Campeões 2016/17


Sortes distintas para as equipas portuguesas na Liga dos Campeões 2016/17 depois de realizado o sorteio ontem no Mónaco.
O tricampeão nacional vai estar no Grupo B onde vai defrontar o Nápoles de Itália, o Dínamo de Kiev da Ucrânia e o Beşiktaş da Turquia. A equipa turca, para onde foi transferido o Talisca por empréstimo, reagiu, curiosamente, com felicidade por poder jogar com o Glorioso, se calhar devido à possibilidade de visitar Lisboa e o magnífico Estádio da Luz. A meu ver é um grupo equilibrado mas perfeitamente acessível. Já agora, no Beşiktaş actuam também o cigano Ricardo Quaresma, um dos principais obreiros da conquista lusa do Euro 2016, e o camaronês Aboubakar, emprestado pelos fruteiros do Futebol Corrupto do Porto.
Os fruteiros parecem ter tido mais sorte, pois vão estar no Grupo G juntamente com o campeão inglês Leicester City, os belgas do Club Brugge e o campeão dinamarquês FC Copenhaga. À partida só uma hecatombe, que de vez em quando costuma acontecer, é que evitaria a presença do clube dos corruptos assumidos nos oitavos-de-final.
Já o Sporting teve um azar do caraças, pois vai levar com o Real Madrid, o campeão europeu em título, os vice-campeões alemães do Borússia de Dortmund e os polacos do Légia de Varsóvia no Grupo F. "Até já, Cristiano! Serás sempre bem-vindo a casa!", reagiu assim o Sporting na sua conta oficial do Twitter. Em princípio só com muito azar (ou azelhice) é que a lagartada não consegue ser relegada para a Liga Europa, troféu que Jorge Jesus despreza.
Em relação às outras equipas, temos os restantes grupos:

Grupo A: Paris St-Germain (França), Arsenal (Inglaterra), Basileia (Suíça) e Ludogorets (Bulgária)
Grupo C: Barcelona (Espanha), Manchester City (Inglaterra), Borrúsia de Monchengladbach (Alemanha) e Celtic (Escócia)
Grupo D: Bayern de Munique (Alemanha), Atlético de Madrid (Espanha), PSV Eindhoven (Holanda) e Rostov (Rússia)
Grupo E: CSKA de Moscovo (Rússia), Bayer Leverkusen (Alemanha), Tottenham (Inglaterra) e Mónaco (França)
Grupo H: Juventus (Itália), Sevilha (Espanha), Lyon (França) e Dínamo de Zagreb (Croácia)

Na Liga Europa já se realizaram os jogos da segunda mão do play-off de acesso à fase de grupos da competição com a eliminação do Arouca, derrotado pelos gregos do Olympiakos por 1-2 após prolongamento. Com a eliminação do Rio Ave frente ao Slávia de Praga na terceira pré-eliminatória, Portugal passou a contar apenas com o Sporting de Braga na Liga Europa. Os braguistas poderão ficar no mesmo grupo que equipas de gabarito como Schalke 04 (Alemanha), Zenit de São Petersburgo (Rússia), Manchester United (Inglaterra), Shakhtar Donetsk (Ucrânia, treinado pelo antigo treinador braguista Paulo Fonseca), Athletic Bilbao (Espanha), Olympiakos (Grécia), Ajax de Amesterdão (Holanda) ou Inter de Milão (Itália).

Ronaldo é o melhor jogador da Europa deste ano


Sem surpresas, o internacional português Cristiano Ronaldo foi eleito o melhor jogador a actuar na Europa devido à conquista da Liga dos Campeões pelo Real Madrid e sobretudo pela conquista do Euro 2016 por Portugal, superando o francês Antoine Griezmann e o galês Gareth Bale. E assim o Ronaldo conseguiu igualar Lionel Messi neste registo.

Provavelmente o maior gato do mundo


Samson, de Nova Iorque, é capaz de ser o maior gato do mundo da actualidade. Com 12,7 quilos e 1,21 metros de comprimento, o "gigante gentil" de raça Maine Coon e de quatro anos pode muito bem superar o recorde do Guinness, pois o último registado como o maior gato do mundo, Mymains Stewart Gilligan, e que media 1,23 metros, morreu em 2013. "(Samson) É muito simpático e bem comportado", disse o seu dono, Jonathan Zurbel, que mantém uma conta no Instagram sobre as aventuras do felino.

Sir Nils Olav

video

O pinguim-rei Nils Olav, que vive no jardim zoológico de Edimburgo, a capital da Escócia, é a mascote da Guarda Real da Noruega desde 1972. Nils Olav foi promovido a brigadeiro numa cerimónia com toda a pompa e circunstância no passado dia 22 depois de ter recebido o título de cavaleiro em 2008.
O nome Nils Olav foi dado ao pinguim em homenagem ao major Nils Egelien, responsável pela adopção, e ao então rei norueguês, Olav.

Eishhh, mais uma negra que vai votar no Trump!

video

Duplo critério

Ser cristão não serve para nada?

Há uma semana escrevi um texto sobre a ida de Marcelo Rebelo de Sousa à Madeira onde disse duas coisas que irritaram uma impressionante quantidade de leitores e de amigos. A primeira coisa foi ter elogiado o comportamento do presidente da República relacionando-o com o facto de ele ser cristão. Ou seja, atrevi-me a considerar que Marcelo demonstrara no Funchal uma capacidade e um talento para consolar quem sofria que tinha uma ligação com a fé que professava. A segunda coisa foi ter dito que a empatia se encontrava retratada nos Evangelhos como em mais lado nenhum. 
Inúmeros leitores agnósticos e ateus ficaram ofendidos com as minhas palavras. Essa ofensa tem um duplo efeito sobre mim: chateia-me e entristece-me, porque me parece pura e simplesmente absurda. Vamos por partes. Em primeiro lugar, a questão dos Evangelhos. Eu não conheço todos os livros sapienciais do planeta, mas dentro daquilo que é a literatura ocidental ou a tradição dos monoteísmos não estou a ver que outro livro trate o amor ao próximo e a empatia de forma mais radical do que os Evangelhos. Isto só é uma opinião original para quem nunca leu a Bíblia. Não percebo porque é que um ateu não pode ler os Evangelhos com a mesma abertura intelectual com que lê Hamlet. Eu preciso de provar a existência do crânio de Yorick para apreciar as palavras de Shakespeare? Então para quê viver obcecado com a adesão à realidade dos conteúdos da Bíblia? Esqueça-se a existência de Deus e aprecie-se a literatura. Não é preciso acreditar na ressurreição para admitir que a empatia se encontra retratada nos Evangelhos como em nenhum outro lugar. 
O segundo ponto, relacionado com a ligação que estabeleci entre o talento para consolar os que sofrem e a adesão ao Cristianismo pode ser menos intuitiva, mas é fácil de compreender. Mais uma vez, não é necessário ter fé – basta achar que a fé serve para alguma coisa. Infelizmente, existe uma costela jacobina muito desenvolvida que não só recusa a fé, como recusa que ela possa ter qualquer efeito sobre os seus crentes. Enfim: nem sempre. Peguemos no fundamentalismo islâmico. Qualquer pessoa, crente ou ateia, está disposta a admitir que jovens muçulmanos são radicalizados pela acção de imãs extremistas, contra os quais há leis de expulsão. Nesse caso, admite-se que a religião serve para criar radicais capazes de sacrificarem a vida para matar os outros. Aquilo que já não se admite é que a religião possa criar radicais capazes de sacrificarem a vida para salvar os outros. 
Isto não significa que um cristão seja moralmente superior a um ateu, ou que tenha de ser melhor do que ele a acudir aos mais fracos. Significa apenas que quando um cristão tem a vocação e o empenho necessários, os Evangelhos são um excelente instrumento para treinar a nobre arte do consolo. Quando dei o exemplo de Marcelo, não disse que ele era melhor pessoa do que um ateu, até porque nesse mesmo texto o apelidei de imprudente, impulsivo e infantil. O que disse, e mantenho, é que o talento natural de Marcelo no contacto com os outros, em conjunto com a sua formação cristã, o torna muito bom a consolar os que sofrem. Não é possível passarmos milhares e milhares de horas da nossa vida a estudar um assunto e isso não ter qualquer efeito em nós. Não me parece que se trate de uma questão de fé, mas de lógica – até porque tanto pode dar para o bem, como para o mal. Mas se nós aceitamos o fanático, por que não podemos aceitar o santo?

João Miguel Tavares in Público
20 de Agosto de 2016

George Soros e Papa Francisco. Poder Financeiro e Poder Religioso Juntos?


Hoje, os média católicos estão em geral falando dos 650 mil dólares que George Soros deu a organizações católicas para tornar o Papa esquerdista e defender políticas contra a "desigualdade financeira", usando também a influência do cardeal Maradiaga sobre o Papa. 

O óptimo site Fratres in Unum explica bem o caso com a tradução de um texto do Life Site News. O site The Remnant parece que foi o primeiro a mostrar as acções de Soros com relação ao Papa Francisco. 

Bom, para quem acompanha os discursos do Papa e leu o que ele disse tanto quando estava na Bolívia e como durante a sua visita à ONU, não achará necessário que Soros tente fazer o Papa Francisco ter um pensamento esquerdista e veja o mundo em termos materialistas. O Papa Francisco vê até o terrorismo islâmico como uma questão económica e até ambientalista. 

Nós, católicos, é que devemos aprender o que significa ser católico, para nos proteger de discursos materialistas. 

Em todo o caso, as acções de George Soros devem ser de preocupação. 

Normalmente o dinheiro do mundo alimenta o pecado e condena o Cristianismo, em todos os sentidos, Soros é apenas um inimigo evidente dos cristãos, há outros evidentes como a própria ONU, o Obama e a Hillary Clinton. Hoje mesmo a Hillary reclamou que as mulheres têm que dirigir 500 km para abortar, ela quer mais clínicas de aborto disponíveis e fáceis nos Estados Unidos. Os inimigos da Igreja têm muito dinheiro. Satanás prometeu e promete justamente poder e dinheiro para quem se curva a ele. 

Vejamos outras notícias anti-católicas recentes ligadas a George Soros: 





Pedro Erik in THYSELF O LORD
24 de Agosto de 2016

Islão: o que os outros dizem

Breitbart: muitos alemães estão a deixar o Facebook para passarem a usar o VK, conhecido como o Facebook russo, por verem a sua liberdade de expressão no que diz respeito ao que querem ou lhes apetece dizer acerca dos "refugiados" e imigrantes muçulmanos a ser censurada pelo politiquismo correcto, o que por vezes também lhes vale uma inesperada visita da polícia lá em suas casas.

Não dizem lá em França que a liberdade de expressão é um dos valores ocidentais sagrados?
Shoebat: na Sicília, uns "refugiados" muçulmanos abrigados num centro de acolhimento teve a suprema ousadia de se meter com uns sicilianos e acabaram por ser espancados. Um deles ficou mesmo internado e em coma.

video
Não nos esqueçamos que a máfia já chegou a declarar guerra aos alógenos...

Norwegian Defence League: na pequena cidade finlandesa de Forssa, um grupo de 15 "refugiados" - segundo um relatório recente, 3/4 dos iraquianos que pedem asilo são migrantes económicos - deu porrada num puto nativo ao pé de um supermercado com barras de metal e sticks. Como resposta, um grupo de uns 100 finlandeses armados dirigiu-se ao centro de acolhimento onde essa escumalha alógena estava alojada para se vingar do rapaz. A polícia chegou a tempo de evitar uma tragédia para os alógenos.
A Finlândia pode, legalmente, rejeitar até 77% dos novos pedidos de asilo
DW: a compra de armas na Áustria disparou devido aos "refugiados" no país, o que fez aumentar o sentimento de insegurança da população. "Obviamente, a sociedade civil não se sente segura. Essa sensação de segurança subjectiva foi embora e as pessoas parecem ter menos confiança no Estado e na polícia", explicou à agência Efe Florentine Eichler, especialista do KFV, um instituto especializado em temas de segurança, concordando com o sociólogo Reinhard Kreissl, director do Vienna Centre for Societal Security, que disse que "O aumento coincide com a onda de refugiados. A psicologia por trás deste aumento também parece estar relacionada com o facto de que muitos cidadãos sentem que os agentes do Estado não estão em condições de cumprir suas funções".

No ano passado houve um aumento de 11% no número de portadores de armas
The Local: ainda na Áustria, num resort na localidade de Zell am See, em Salzburgo, a polícia foi atacada por duas turistas muçulmanas árabes, uma mãe de 48 anos e a sua filha de 20 anos, que começaram por agredir um funcionário de um banco depois de um desentendimento entre o bancário e um grupo de mulheres árabes. As alógenas cuspiram nos agentes, morderam-lhes e pontapearam-nos nas canelas.

Zell am See é um spot muito procurado por turistas do Golfo Pérsico
Independent: a Suécia está a pagar 3500 libras a cada "refugiado" para voltar para a sua terra, tendo já despachado 10.655 requerentes a asilo nos primeiros oito meses deste ano. Isso deve ser para fazer com que a Suécia deixe de ser o país europeu com a maior taxa de violações...

Ainda assim vale a pena ir para a Suécia, pois volta-se de lá com guito...
Daily Mail: o guarda-costas pessoal do pregador de ódio islâmico Anjew Choudary, Michael Coe, um britânico convertido ao islão de 35 anos, pode ser condenado à prisão por ter agredido um rapaz de 16 anos que estava abraçado à sua namorada na rua. Michael perguntou se eles eram muçulmanos e chamou a rapariga de "puta" antes de atirar o rapaz contra uma parede e deixá-lo inconsciente.

Michael Coe converteu-se ao islão quando estava preso
Vlad Tepesblog: em Cannes, França, uma jovem mãe muçulmana de 34 anos foi multada por usar o véu na cabeça e, diz ela, ficou em choque! Choramingando para uma estação televisiva, a musla ficou muito ofendida por lhe terem dito que os franceses não querem o lixo da vestimenta islâmica em França, que é um país católico, o que configura, no entender dela, um caso de discriminação devido ao "racismo" (que merda de raça é o islão?)!

video
Porque é que a musla não vai viver para um país islâmico?

Fria Tider: uma mesquita lá na Suécia convidou Farrokh Sekaleshfar, o tal imã que ficou famoso por ter proferido um discurso na mesquita do atirador muçulmano Omar que matou 49 pessoas num bar gay em Orlando, na Flórida. Na ocasião, Farrokh concordou com o acto do Omar, dizendo que os gays merecem morrer.

O Farrokh Sekaleshfar é uma sumidade para os muçulmanos
Daily Mail: a filha de um imã abandonou o islão aos 16 anos depois de ter fugido de um casamento arranjado e converteu-se ao Cristianismo. A britânica de 31 anos, de ascendência paquistanesa e filha do imã da  mesquita de Lancashire, já mudou 45 vezes de casa e vive sob protecção policial devido à ameaças de morte que já recebeu, muitas delas por parte dos seus familiares, a começar pelos seus próprios pais. "Eu sei que o Corão diz que se alguém abandonar o islão deve morrer como apóstata portanto de certa maneira a minha família está a seguir o Corão. Eles estão a seguir o islão à letra".

Um estudo diz que 36% dos muçulmanos britânicos concordam com a morte para os apóstatas

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

RedBull não dá asas, não


Esta notícia já é de 2014: a jovem Lanna Hamann, de apenas 16 anos e do Estado norte-americano do Arizona, viajou para o México com os seus pais e amigos e teve um ataque cardíaco numa praia, acabando por morrer. Consta que momentos antes de morrer ela ingeriu RedBull, uma famosa bebida energética que todos nós conhecemos (eu nunca experimentei) e que Lanna, que praticava softball e aparentemente era saudável, bebia regularmente.
De acordo com o especialista cardíaco Jack Wolfson, as bebidas energéticas têm muita cafeína e açúcar, podendo causar alterações no ritmo cardíaco e impactar a pressão sanguínea mesmo nas pessoas saudáveis e atletas. No caso de Lanna, o facto de ela não se ter hidratado com água convenientemente e ter-se exposto ao sol da praia sem gastar a energia da bebida energética pode ter-lhe causado a paragem cardíaca.
A mãe de Lanna, Kris, espera que o que aconteceu à sua filha possa evitar tragédias semelhantes no futuro. Façamos a nossa parte e partilhemos esta notícia.

Sismo destrói Amatrice

Amatrice, uma comuna italiana da região do Lácio, na província de Rieti e com quase 3000 habitantes, foi atingida por um sismo de 6.2 na escala de Richter na madrugada de ontem. Já foram contabilizadas 159 vítimas mortais e 368 pessoas ficaram feridas.

video

Paz às almas das vítimas mortais, as condolências às suas famílias e que os feridos recuperem depressa desta tragédia. Amatrice jamais voltará a ser o que era.

A ruptura no Ocidente


A revolução cultural, herética e anti-católica, produzida pela Reforma protestante e pelo Renascimento liberalizou e paganizou a sociedade. Isto provocou o fim da unidade do Ocidente que tinha como base a unidade religiosa. O protestantismo tomou conta de muitas nações, os sistemas aristotélico e tomista foram substituídos pelo pensamento cartesiano. 
Voltaram os costumes pagãos: a usura, os negócios escuros, o culto da vaidade, o luxo, a deformação das artes, a falta de regras e de disciplina, a escravidão, o despotismo e a tirania. Desenvolveu-se um terreno favorável ao avanço do secularismo que culminou nas novas correntes de pensamento como o laicismo, o liberalismo, o socialismo, o comunismo, o fascismo, obras organizadas e materializadas pela maçonaria como ela própria assumiu. 
Estas ideias, até aí solitárias e ocultas, ganhavam adeptos que começavam a actuar às claras, de forma arrogante e altiva. A razão deixou de ser um juízo equilibrado, para se tornar uma crítica ousada. Punham-se dúvidas em tudo, o que era universalmente aceite, deixou de o ser. Renegou-se o divino e o homem passou a ser a medida de todas as coisas, era a sua própria razão de ser e o seu fim. 
Entra-se numa política de Direito abstracto contra a do Direito divino, uma religião sem mistério, uma moral sem dogmas. 
A consciência europeia entrou em crise, talvez a mais importante na História das Ideias. A nova ordem construiu a moderna civilização alicerçada nos direitos da consciência individual, nos direitos da crítica, nos direitos da razão, nos direitos do homem e do cidadão, em contraste com a que estava estabelecida: a civilização cimentada na ideia do dever, deveres para com Deus e para com os poderes instituídos. 
Vivemos no Estado moderno: um Estado amoral, omnipotente, relativista,... um monstro que falsamente diz defender a Liberdade, a Igualdade e a Fraternidade. 

Guilherme Koehler

«A verdade acerca da islamofobia» (Paul Joseph Watson)

video

A polícia de Colónia desvenda finalmente a inaudita onda de crime do Ano Novo

Onda de agressões e saques no Ano Novo em Colónia
Sete meses após as agressões sexuais e rapinas de massa praticadas no fim do ano passado em Colónia e noutras cidades alemãs por imigrantes maometanos, pode-se conhecer toda a extensão da agressão colectiva, informou o “Slate”

O relatório da polícia alemã, agora divulgado, constata que cerca de 2000 homens agrediram sexualmente aproximadamente 1200 mulheres na noite de Ano Novo. 

O número oficialmente reconhecido é quase o dobro das 600 ocorrências por delitos sexuais fornecido pela polícia e autoridades alemãs nos dias dos crimes. 

O relatório foi publicado pelo jornal Süddeutsche Zeitung e ecoado pelo Washington Post. Nele está registrado que a polícia estima que houve 600 agressões sexuais somente em Colónia, por volta de 400 em Hamburgo, e que foram identificados 120 suspeitos. 

Apenas dois homens foram condenados em juízo, mas ainda há vários processos em andamento, segundo o Washington Post

A divulgação do balanço policial gerou muita polémica, pois está ficando cada vez mais claro que o governo alemão praticou uma forma de ocultação dos factos para não comprometer a sua política de favorecimento das invasões islâmicas sob a forma de “Islão pacífico”. 

O procedimento do governo de Bonn e da própria polícia vem sendo fortemente criticado. 

Acresce-se que é mais ou menos certo que muitos agressores não serão condenados, segundo deduziu Holger Münch, presidente da polícia federal alemã: “Nós devemos aguardar que numerosos crimes jamais serão objeto de inquérito algum”, disse.

Wolfgand Albers, chefe da polícia de Colónia agora suspenso, reconheceu o
encobrimento da onda de ataques sexuais talvez pressionado pelos mais altos poderes
No dia 1 de Janeiro, às 8h57, no seu site da Internet, a polícia informava que a noite da São Silvestre tinha transcorrido “calmamente”, “como no ano passado”. 

Foi só três dias depois, em 4 de Janeiro, que o abafamento dos delitos apareceu em toda a sua crueza. Nessa data, após um terramoto nas redes sociais, a polícia concordou em fazer uma conferência de imprensa sobre a onda de agressões. 

“É uma nova dimensão da violência, jamais vimos coisa como essa”, declarou Arnold Plickert, presidente do sindicato da polícia de Renânia-do-Norte-Vestefália. A declaração permite mensurar a dimensão criminosa desencadeada pelos imigrantes islâmicos, mas não explica o abafamento dos factos. 

No dia 8 de Janeiro, o chefe da polícia de Colónia, Wolfgang Albers, foi suspenso das suas funções por disposição do Ministério do Interior do governo estadual de Renânia-do-Norte-Vestefália, por causa da inacção dos seus serviços e do longo tempo que levou para informar os factos. 

Entrementes, prosseguem os crimes de sangue cometidos pelos “asilados” islâmicos, que agem como invasores em terra conquistada, causando mortes e semeando terror num país outrora sede dessa jóia da Cristandade que foi o Sacro Império Romano Alemão.


Fonte: As Cruzadas

Islão: o que os outros dizem

Expresso: o eurodeputado húngaro Gyorgy Schopfin, membro do Partido Popular Europeu, sugeriu colocar cabeças de porco no topo das vedações de arame farpados colocadas nas fronteiras para afugentar os deslocados muçulmanos, impedindo-os assim de entrar no país. A escumalha antirra e islamófila é que não ficou nada contente com a sugestão: chamou o homenzito de "neonazi", como se os nazis tivessem algum problema histórico com o islão...

Se for para aproveitar as cabeças de porco das carcaças, porque não?
Norwegian Defence League: em Oslo, um refugiado iraquiano de 38 anos foi acusado de oito crimes sexuais contra nativas. Em tribunal, o alógeno disse que perdeu a sua família no Iraque em 2005 e que se sentiu "vazio" e "carente", daí ter cometido os crimes que cometeu entre 2007 e 2015.

Tribunal Distrital de Oslo
Roman Catholic Imperialist: o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, morreu na sequência de um bombardeamento aéreo no Estado nigeriano de Borno. Mas que excelente notícia!

O problema é que o Boko Haram continua a existir...
UK Express: a febre do burkini já está a atingir com força a Itália, no seguimento do banimento do uso de burkini em algumas localidades francesas. Cabe agora às autoridades italianas fazerem o que é certo de modo a evitar essa poluição visual nas suas praias...

E os islamófilos que acham piada ao burkini são umas bestas quadradas...
Independent: o véu agora já faz parte da farda das mulheres polícias lá no Canadá. É mesmo assim o multiculturalismo desejado pelos idiotas úteis lá do sítio, em particular o primeiro-ministro esquerdista Justin Trudeau, amigalhaço dos muçulmanos. Em declarações à AFP, Trudeau falou das diversas e ricas comunidades canadianas...

Mas não, pá, repitamos até acreditarmos: não existe nenhuma islamização!
ABC News: mais um "maluquinho" (que é como quem diz, terrorista ou lobo solitário islâmico), agora em Roanoke, no Estado norte-americano da Virgínia, que atacou duas pessoas com uma faca tentando decapitá-las. Wasil Rafat Farooqui, na foto de baixo, gritou, como fazem todos esses "maluquinhos", Allahu Akbar.

Mais um caso, o enésimo, que não tem nada a ver com o islão, não é?
Townsville Bulletin: em Home Hill, na Austrália, um alógeno muçulmano de nacionalidade francesa, um "maluquinho" pois com certeza, matou à facada uma mulher britânica de 21 anos, feriu gravemente um britânico de 30 anos e um local de 46 anos e matou também um cão! E, como é claro, o alógeno, de nome Smail Ayad, possivelmente um francês convertido ao islão, gritou Allahu Akbar...

video
Consta que o alógeno francês está na Austrália de férias...

Graham Philipps: no mês passado, algumas pessoas da cidade alemã de Munique foram entrevistadas com o intuito de saber o que é que elas pensam sobre a política imigracionista de Angela Merkel. O chocante é sabermos que muitos não estão nem aí para a invasão alógena pretendida pela chanceler. Mais chocante ainda é uma muçulmana dizer que não quer falar porque senão o marido dela ainda a mata...

video
Pois é, o marido ainda a mata... é assim a "religião da paz"!

The Rebel: em Praga, na República Checa, um grupo de activistas anti-islâmicos disfarçados em jihadistas provocou algum pânico e a raiva do politicamente correcto. Apesar disso, a polícia admitiu que a demonstração tinha sido previamente comunicada.

video
Os tipos do PNR ainda têm de comer muito feijão ao lado destes...

Shocking Islam: a página do Facebook Shocking Islam partilhou a imagem que podemos ver em baixo e que, ingenuamente creio eu, vai fazer com que os politiqueiros correctos e idiotas úteis comecem a olhar para os ditos "muçulmanos moderados" de outra forma...

"Só há cinco extremistas nesta foto. Todos os restantes são moderados."